sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

CANTORIA DE VIOLA NA SALA DE AULA



Sugestões de Atividades
É possível desenvolver muitas atividades em sala de aula a partir da cantoria de viola nordestina, integrando diversas áreas de conhecimento e facilitando o processo de ensino-aprendizagem.
Este é seu objetivo e, certamente, você tem boas idéias para fazer isso.
Difícil de realizar? Às vezes, sim. É importante considerar sempre a realidade, o interesse e o grau de envolvimento de seus alunos. E avaliar o que é melhor, mais oportuno, em cada circunstância, de acordo com sua sensibilidade.
As sugestões apresentadas a seguir são uma contribuição ao seu trabalho. Verifique a possibilidade de adotá-las (todas? quem sabe algumas), com as adaptações que julgar necessárias.
Atividade 1 � Cantador em sala de aula
Atividade 2 � Debate com cantadores
Atividade 3 � Participe de festivais de cantoria
Atividade 4 � Escrever os versos cantados
Atividade 5 � Trabalhando com a poesia oral
Atividade 6 � Motes de cantoria na alfabetização
Atividade 7 � Brincar com rimas
Atividade 8 � Cantoria e cinema
Atividade 9 � Aula de matemática a partir da cantoria
Atividade 10 � A geografia nos versos da cantoria
Atividade 11 � Cantadores e a migração nordestina
Atividade 12 � Aprender a ler e escrever a partir da cantoria

Atividade 1 � Cantador em sala de aula
VOLTAR
Você conhece alguma dupla de cantadores em sua região? Convide-os para uma apresentação. Seus alunos poderão se encantar com os versos cantados ao som da viola.Após a apresentação, peça aos cantadores para falarem de sua profissão, história de vida, de onde tiram inspiração para compor os versos e qual a temática dominante na cantoria.Para esta atividade ser significativa para os alunos, é importante você prepará-la antecipadamente. Fale sobre a importância dessa manifestação cultural. Mostre que o cantador é uma pessoa talentosa, inteligente e sensível, que sabe encontrar as palavras adequadas às rimas e dar ritmo aos versos feitos de improviso. Para complementar esta tarefa de sensibilização, você pode exibir os dois programas da Série do Aluno disponíveis neste site.
Atividade 2 � Debate com cantadores
VOLTAR
Outra forma de trabalhar com a cantoria é levar cantadores à sala de aula para debaterem um assunto da atualidade em forma de versos. Pode ser uma boa atividade para os alunos se informarem e manifestarem sua opinião.Escreva os comentários no quadro ou numa folha grande de papel e transforme a discussão num texto. Se quiser, você pode também reescrever este texto numa matriz, reproduzir e distribuir para a turma. Você terá um bom material de leitura, no qual os alunos poderão confrontar os diferentes pontos de vista, tirar dúvidas e pensar sobre a língua escrita.
Atividade 3 � Participe de festivais de cantoria
VOLTAR
Incentive seus alunos a assistirem a festivais de cantoria ou participarem de outras manifestações culturais de sua cidade ou das redondezas. Você pode orientar essa atividade, propondo um passeio com a turma toda.É muito importante sair da escola e fazer um estudo do meio que nos cerca. Além de momentos de interação e descontração, aprendemos muito vendo, ouvindo e observando em grupo.Antes da ida ao festival, você pode preparar a turma, lendo a programação, conversando sobre os cantadores, os elementos da linguagem musical da cantoria, o tipo de sonoridade, instrumentos, arranjos, voz, interpretação e a intenção do cantador ao desenvolver um tema. Depois do passeio, os alunos podem ilustrar o que viram e ouviram com desenhos, colagens e esculturas de argila, e redigir um texto relatando o evento e descrevendo suas impressões durante a apreciação da cantoria. A partir desta experiência, eles poderão produzir um texto tão rico quanto as cantorias que ouviram.
Atividade 4 � Escrever os versos cantados
VOLTAR
Um bom caminho para trabalhar com esta literatura oral é transformá-la em texto escrito. Você pode gravar uma apresentação de cantoria e depois selecionar uma estrofe e transcrevê-la. Ou usar uma das cantorias selecionadas disponíveis neste site na seção Série do AlunoCom esse material escrito, você pode desenvolver outras atividades. Comece lendo a estrofe em voz alta. Explique aos alunos, se ainda não souberem, que podemos escrever o que falamos. Depois, peça para discutirem coletivamente o significado do texto e possíveis interpretações. A seguir, você pode escrever o texto lido no quadro, para que os alunos façam a leitura e observem o ritmo, o tamanho dos versos e as rimas. Ajude-os a contar as sílabas poéticas, brincar com as rimas e até construir uma outra estrofe, usando as mesmas regras da cantoria.
Atividade 5 � Trabalhando com a poesia oral
VOLTAR
Em sala de aula, podem ser organizadas várias atividades envolvendo a poesia popular. Você pode selecionar uma entre as cantorias selecionadas disponíveis na seção Série do Aluno deste site e transcrevê-la. Pode ler o poema em voz alta e depois discutir com a turma os sentidos e significados daquele texto. É interessante distribuir uma cópia do poema para cada aluno ler e fazer descobertas e reflexões sobre a linguagem escrita. Como, por exemplo, identificar as palavras que rimam, pensar em outras que terminem como aquelas; destacar as palavras que mais chamaram a atenção dos alunos e inseri-las em novos versos ou frases; criar estrofes continuando o poema. Pode-se pedir também para os alunos ilustrarem, musicarem e até dramatizarem o poema. É possível levar outras poesias e fazer um recital com a turma. Enfim, o texto poético, tirado do povo, pode e deve invadir a sua sala de aula.
Atividade 6 � Motes de cantoria na alfabetização
VOLTAR
Experimente levar um ou mais temas para os alunos transformarem em motes ou dar um mote para eles desenvolverem a cantoria. Se dividir a turma em duplas, verá que cada uma vai dar a sua versão, podendo surgir vários motes para o mesmo tema e cantorias diversas para o mesmo mote.Tudo isso pode ser feito, primeiro, oralmente, de improviso, como os cantadores e, depois, transformado em texto escrito. Você poderá, então, organizar com a turma uma apresentação das cantorias e também uma coletânea dos textos produzidos.
Atividade 7 � Brincar com rimas
VOLTAR
Leia uma notícia de jornal ou revista em sala de aula e discuta com a turma diferentes assuntos da atualidade, trocando pontos de vista e possibilitando que cada aluno dê sua versão para os fatos. Depois, você pode brincar com as rimas e pedir a eles para transformarem a notícia em versos, de improviso. Inicialmente, esse trabalho pode ser coletivo; depois, em duplas e apresentado à toda turma. Além de incentivar a leitura crítica do noticiário da imprensa, você cria momentos interessantes de interação e descontração da turma.
Atividade 8 � Cantoria e cinema
VOLTAR
Para enriquecer uma aula sobre História, por exemplo, você pode apresentar versos feitos pelos cantadores sobre um tema escolhido. Muitos deles foram publicados em anais, que você encontra em bibliotecas públicas ou em discos produzidos pelos próprios cantadores. Escolha alguns exemplos dentre as cantorias selecionadas disponíveis neste site.Em geral, os cantadores oferecem uma outra versão dos fatos históricos. Sua narrativa é diferente dos relatos dos livros didáticos e dos documentos históricos e pode ser comparada às adaptações feitas para o cinema. Um bom exemplo para esse trabalho pode ser a história de Antônio Conselheiro. A Guerra de Canudos foi narrada por muitos cantadores, cordelistas, historiadores e até em filmes.Considere, professor, que o ensino de história feito por meio de comparações entre diferentes versões de um mesmo fato é importante para que o aluno construa uma visão crítica dos acontecimentos.Não deixe de explorar também a história dos heróis do dia-a-dia. A história contada pelos cantadores faz com que o aluno possa se ver como sujeito de seu próprio tempo histórico.
Atividade 9 � Aula de matemática a partir da cantoria
VOLTAR
Use os versos da cantoria para dar uma aula de Matemática. Leve para a sala de aula versos feitos pelos cantadores. Selecione alguns entre os exemplos entre as cantorias selecionadas disponíveis na seção Série do Aluno deste site e trabalhe com os alunos a escrita e o raciocínio matemático. Crie desafios em que eles possam estabelecer comparações e analogias entre os diferentes poemas quanto ao tamanho dos versos, o número de palavras, de sílabas poéticas e a forma de construção das rimas.
Atividade 10 � A geografia nos versos da cantoria
VOLTAR
O sertão, a caatinga e a seca são temas freqüentes da cantoria. Você pode trazer a visão dos cantadores sobre essa temática para a sala de aula. Utilize esses versos para ilustrar uma aula de Geografia. Por meio deles, seus alunos podem estudar: paisagens, lugares, relevo, vegetação, clima, atividades econômicas, demografia e muitas outras coisas. Uma boa idéia é depois comparar a poesia dos cantadores com romances de escritores como Jorge Amado, Graciliano Ramos, Érico Veríssimo ou outros, que também apresentam descrição de lugares, cidades e paisagens. Isso poderá ser muito atraente para os alunos. O escritor ou cantador, quando descreve um lugar ou uma situação, dá sua versão, construindo e reconstruindo a realidade com seu olhar de artista. Embora não tenha compromisso com a verdade, pois literatura é ficção, ele dá visibilidade ao que, muitas vezes, não conseguimos ver sem esse olhar. Com os dados recolhidos na leitura literária, o aluno terá novos elementos para comparar e interpretar diferentes espaços geográficos e as relações que os homens estabelecem com eles.
Atividade 11 � Cantadores e a migração nordestina
VOLTAR
Outro tema freqüente na cantoria é a migração, a partida do homem do campo para a cidade em busca de melhores condições de vida. Identificar os fatores que contribuem para a migração pode ser uma boa atividade, especialmente em cursos de alfabetização de jovens e adultos. Afinal, em sua sala de aula pode haver muitos migrantes ou alunos que pensem em migrar.Por isso, é importante você discutir com o grupo os pontos positivos e negativos da migração, desenvolvendo esse tema coletivamente, já que ele está fortemente relacionado às histórias de vida dos alunos. Para ampliar o debate, além das cantorias que falam da migração, você pode passar o filme Central do Brasil, ler o poema Morte e vida severina, de João Cabral de Melo Neto - ou ouvi-lo na música de Chico Buarque de Holanda -, e também mostrar uma foto ou reprodução do quadro Os retirantes, de Cândido Portinari.
Atividade 12 � Aprender a ler e escrever a partir da cantoria
VOLTAR
Não esqueça, professor: seu desafio de todos os dias é criar situações que motivem a leitura e a produção de textos em sala de aula.Para isso, é fundamental que os textos tenham usos e funções reais, que o aluno sinta necessidade de ler e de escrever para se informar, para se comunicar, para não esquecer, para convencer, para se expressar, para rir e chorar, e tantas outras coisas que fazem parte da nossa vida. Cada tipo de texto que circula tem sua forma, seu conteúdo e serve a uma ou mais funções, de acordo com as práticas sociais a que está sujeito. Jovens e adultos, por pertencerem ao mundo letrado, mesmo antes de saberem ler e escrever, conhecem muita coisa sobre os textos: sabem suas funções, reconhecem algumas convenções e estruturas lingüísticas, levantam hipóteses sobre a escrita, ou seja, têm uma bagagem de informações.Por isso, assim como na dupla de cantadores, é importante você estar atento ao que os alunos já conhecem para desafiá-los a refletir sobre a língua, a ampliar suas informações e ganhar autonomia em relação à linguagem escrita.

Postar um comentário