quarta-feira, 3 de novembro de 2010

SAUDADE DO AMIGO POETA VAQUEIRO KARA VEIA




Fui um poeta afamado
Por muitos fui festejado
Naquelas festas de gado
Me enchia de emoção
Dei muito valor há festa
Fiz coisas que não presta
Agora só o que me resta
Ao bom Deus pedi perdão

Para minha destruição
Criei uma grande paixão
Com a minha boba ilusão
Que veio para tirar a vida
Esse foi o meu pecado
Não vi que estava errado
Em ter me apaixonado
Por minha bela querida

Deixo a minha despedida
Saio de cabeça erguida
Que da terra fiz partida
Para seguir a caminhada
Na evolução do mundo
Não vou perder segundo
Que nem velho cagundo
Não fica sem fazer nada

Para minha família amada
Meus amigos e camaradas
Receba a minha toada
Para guarda na lembrança
Essa foi minha intuição
Desabafar meu coração
Em tirar minha paixão
Que acabou com esperança

Agora resta a lembrança
Kara Veia como criança
Em muitas noites de dança
Deixou gente apaixonado
Vou agradecer a Jesus
Que me trouxe muita luz
Com os anjos que conduz
Me levando para seu lado

Para meu irmão amado
Que gosta de festa e gado
Não fique apaixonado
Por moça bonita nem veia
Este mundo é um jardim
Foi Deus que fez assim
Agora chegou ao fim
Seu amigo Kara Veia

22/04/2007. O POETA DA SORTE...
PAULO RAFAEL BEZERRA DA SILVA.
Postar um comentário