sábado, 5 de maio de 2012

Dormir bem dá qualidade de vida


Edilene Ribeiro
Na última quarta-feira, 21, foi comemorado o Dia Nacional do Sono. Especialistas afirmam que uma noite bem dormida é sinônimo de qualidade de vida e boa saúde. Segundo pesquisas, boa parte das pessoas passa, no mínimo, de seis a oito horas por dia na cama, ou seja, aos 60 anos, essa soma significa 20 anos de vida deitada em um colchão.
No entanto, segundo o Laboratório do Sono do Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP), milhões de pessoas não dormem o quanto deveriam,  e ainda não têm a qualidade de sono que necessitam para recarregar as energias.
O Laboratório conclui que horas maldormidas podem ser consideradas um fator de risco importante para doenças cardiovasculares.
Estudo feito pelo Laboratório do Sono em colaboração com o Grupo de Hipertensão do Incor constatou que apenas cinco noites de privação de sono (com uma média de quatro horas e meia por noite) já são suficientes para, além de afetar o humor e disposição em geral, prejudicar o funcionamento dos vasos sanguíneos e, de modo geral, alterar a saúde cardíaca.
Segundo o pneumologista e diretor do Laboratório, Geraldo Lorenzi Filho, os jovens são as principais vítimas da privação de sono. “A divisão entre trabalho, estudo e lazer não deixa muito espaço para o descanso”, explica.
Mas nem sempre a preocupação financeira, com a família ou com o trabalho é o causador da má qualidade do sono. Muitas vezes o problema pode estar no ambiente em que você dorme ou na posição na qual dorme.
Pesquisas apontam que 90% dos problemas de dores de cabeça, torcicolos, dores na nuca, dores musculares e lombares são decorrentes de noites maldormidas em posições, travesseiros ou colchões inadequados. “Além de trazer bom humor e tranquilidade para enfrentar o cotidiano, estes fatores influem diretamente na saúde da coluna”, diz o ortopedista do Instituto Ortopedia e Saúde, Fábio Ravaglia.
Colchão e travesseiro devem ser adequados ao corpo
É fundamental que o colchão esteja de acordo com o biótipo da pessoa. Segundo o médico ortopedista do Grupo de Coluna do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Unifesp/EPM, Marcelo Wajchenberg, o colchão e o travesseiro adequados são aqueles que têm uma boa densidade de espuma indicada para o volume do corpo, ou seja, peso e altura. “O colchão deve sustentar bem a estrutura de cada um e não apresentar deformação. Quanto maior a densidade da espuma, maior o peso suportado”, explica.
Colchões de mola ensacada são importantes para casais que se sentem incomodados quando o parceiro se mexe durante o sono. Esses colchões não têm ligação entre as molas, e por isso quando um se movimenta, o outro não sente. “O colchão deve ser mais rígido do que mole. O ideal é experimentá-lo, antes de comprar. Um teste simples é deitar e rolar o corpo. Se conseguir se movimentar rápido, o colchão é mais firme e próximo do adequado”, aconselha o ortopedista Fábio Ravaglia.
Dormir em um colchão duro, como os ortopédicos, nem sempre é indicado. De acordo com os médicos, este tipo de colchão pode trazer sérios problemas à coluna. “Com o tempo a pessoa pode ter acentuada a contratura muscular, comprometer a coluna e a medula nervosa e causar danos aos movimentos e sentidos. Por isso, não é recomendado dormir no chão, como muita gente acha”, alerta Ravaglia.
Veja as dicas para você dormir bem
•    Prefira os travesseiros que acompanham o eixo do corpo. Nem alto, nem baixo demais;
•    Faça alongamentos ao acordar, se espreguice. O alongamento matinal evita uma série de dores musculares e lombares;
•    É contra-indicado dormir de bruços (barriga para baixo). Além de forçar a coluna lombar, você ainda se vê obrigado a virar o pescoço e corre o risco de ter um torcicolo;
•    O correto é dormir de costas ou de lado, na posição fetal. Para isso, conte com a ajuda de travesseiros para apoio. De barriga para cima, o travesseiro para apoiar a cabeça pode ser um pouco mais fino. Na posição fetal, o travesseiro para a cabeça deve ter a altura do ombro e o uso de dois travesseiros podem trazer mais conforto. Um para ser colocado entre os joelhos e outro para abraçar, dando maior apoio aos braços;
•    Evite dormir em colchão de densidade não indicada a seu peso e altura. Isso pode deixar a sua coluna torta.
Fonte: Metrô News
Postar um comentário