domingo, 3 de junho de 2012

Lembaranças de Chico


 Lembaranças de Chico
 
Anísio*X&X&X&X&X&X*

Foi um conterrâneo meu /
Morar com nosso senhor O grande rei do  humor
Daqui  desapareceu
Enlutou o peito meu,
A tristeza me entrevista
Por não ter mais o artista
Que me fazia sorrir
Eu me deleitava ao ouvir
Chico  Anísio  o humorista .

Sou um admirador
Do maior comediante
O gênio mais importante
Da comedia e do humor
Digníssimo professor
Desta arte do sorriso
Mas acreditar preciso
Que  ele hoje diverte tanto
Toda legião de santo
Que compõe o paraíso.

Eu mesmo sou testemunha
Que ele ajudou bastante
Ao nobre tom Cavalcante,
Ao gigante Davi cunha
Que teve de espanta o alcunha
De outras foi instrutor
Como de Adamastor
Da famosa Rossicléa
Todos colheram a ideia
Do grande rei do humor.



O gênio fenomenal
Um orgulho cearense
A joia maranguapense
Nós deixou sentimental
A corte celestial
Já recebeu com festejo
Esta gozando gracejo
Do gênio mais criativo
Que alegrou quando vivo
Praciano e sertanejo.

Oliveira Paula deixou

A sua primeira esposa
E depois por qualquer coisa
Para o maranhão se mudou
Outra família formou
Depois que ele faleceu
Pra partir o que era seu
Os primeiros combinaram
E aos novos não deserdaram
Porque Chico antecedeu

Chico foi um justiceiro
Protetor humanitário
De seu pai num inventario
Ele não quis ser herdeiro
Do casamento primeiro
Ele era o filho do bem
Disse para os outros, convém
Nós já temos condição
Deixamos aos do maranhão
Que são herdeiros também.

Homenagem do poeta <>



Fortaleza / xxv / iii / mmxii
Postar um comentário