terça-feira, 20 de novembro de 2012

Castanha-da-Índia: a rainha da circulação

Castanha-da-Índia: a rainha da circulação


Castanha-da-Índia
Castanha-da-Índia
Famosa na medicina popular como ativadora da circulação sanguínea, a Castanha da Índia é o fruto da castanheira da índia, uma árvore européia que chega até 200 anos e 40 metros de altura e tem sua madeira muito utilizada na fabricação de caixas, utensílios de cozinha, bengalas e outros artigos.
As Castanhas-da-Índia desenvolvem dentro de “ouriços” revestidos de espinhos que contém uma castanha cada e, quando maduros, ressecam-se e rompem para liberação natural das castanhas (sementes) e propagação da espécie.

Origem e história”

Montanhas dos Balcãs
Montanhas dos Balcãs
O nome da Castanha-da-Índia remete ao fato de por muito tempo acreditar-se que ela era proveniente da Índia. Porém, na verdade, a Castanha-da-Índia é natural dos Balcãs,  região sudeste da Europa que engloba países como Albânia, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Grécia, República da Macedônia, Sérvia, Kosovo, parte da Turquia,  e outros.
Castanha-da-Índia Origem e história
Castanha-da-Índia Origem e história
A Castanha-da-Índia (nome científicoAesculus hippocastanum) veio para a França em meados do século XVII como árvore ornamental e foi muito plantada nos parque e avenidas da Europa do século XVIII e hoje é encontrada praticamente por todo o mundo.
Por ser utilizada pelos turcos antigos para curarem afecções pulmonares de cavalos recebeu o nome científico hippocastanun, de origem grega, que significa castanha dos cavalos.
Farmacologia da Castanha-da-Índia
Farmacologia da Castanha-da-Índia

Ações principais”

A principal ação farmacológica da Castanha-da-Índia é sobre a circulação, particularmente sobre o sistema venoso. Seus ativos aumentam a resistência e o tônus das veias, diminuindo a fragilidade e a permeabilidade dos capilares. Essa ação resulta em vasoconstrição periférica, que ativa a circulação sanguínea e favorece o retorno venoso, prevenindo desde pequenos derrames que causam vasinhos,  varículas e varizes até acidentes vasculares de maior porte.

Na Fitoterapia”

Castanha-da-Índia na prevenção de varises
Prevenção de varises
Existem diversas opções de aplicações fitoterápicas da castanha-da-índia, todas relacionadas com a ativação da circulação como:
- Tratamento de alterações e pertubações da circulação sanguínea venosa
- Tratamentos em casos de flebites ( inflamação de veia ocorrida geralmente nas pernas)
- Uso na prevenção de varizes
- Tratamento de processos reumáticos
- Prevenção de hemorroidas: Hemorroidas são veias dilatadas do ânus: um tipo de manifestação externa de varizes que causam dor e coceira e, possivelmente, sangramentos.
A Castanha da Índia é usada para o alívio dos sintomas das hemorroidas desde épocas antigas. A sua ação é a mesma da prevenção de varizes: A escina e o esculósido presentes no extrato da Castanha da Índia são venotônicos e estimuladores da resistência dos vasinhos (resistência capilar), estimulando a circulação local, com alívio de inflamação e das dores.
- Ação antiinflamatória.

Na fitocosmética..”

Em cosméticos naturais a Castanha-da-Índia é aplicada na formulação de cremes e loções para embelezamento de pernas, com a consequente ação cosmecêutica de prevenção da formação de vasinhos e varises.
Por ativar a circulação periférica, também é usada em tônicos capilares e shampoos voltados ao tratamento de queda de cabelo.

Fitoquímica”

A constituição química da Castanha-da-Índia é rica em saponinas, flavonóides e vitaminas, como segue:
- saponinas triterpênicas(8-28%, principalmente aescina e aescigenina)
- flavonóides (quercetina, canferol e esculina)
- heterosideos cumarínicos (esculosideo)
- vitaminas (B, K1,C, pró-vitamina D)
- ácidos graxos (2-5%)
- proteínas (8-10%)
- taninos
- fitosterol
Fonte: Multifegetal.
Postar um comentário