domingo, 14 de dezembro de 2014

Cinema social lança 2 grandes clássicos

Libertários, de Lauro Escorel, e Chapeleiros, de Adrian Cooper, que agora saem em DVD, são dois dos melhores exemplares do cinema social brasileiro. O lançamento, primoroso, feito a partir de cópias restauradas, é do Instituto Moreira Salles (IMS). Vem acompanhado de extras, que explicam o processo de feitura dos filmes, realizados no tempo nada propício da ditadura militar, durante o governo do general Ernesto Geisel (1974-1979). Além dos extras, a caixa contém um folheto com ensaio assinado por Carlos Augusto Calil, que qualifica Libertários e Chapeleiros como “filmes irmãos”, e um texto do brasilianista Michael Hall sobre as lutas operárias em São Paulo. Um fino biscoito.
Filmes irmãos, diz Calil. E melhor definição não há, pois saem do forno de um mesmo projeto, o de resgate das lutas e da cultura operária em um momento histórico em que se vislumbrava ao longe o processo de abertura, mas com a redemocratização ainda permanecendo em horizonte histórico indefinido.
Ocorre com Libertários e Chapeleiros o fato raro de seu processo de filmagem ser quase tão interessante quanto os filmes em si. No lançamento do DVD, no Espaço Itaú de Cinema, na rua Augusta, estiveram seus protagonistas para, após a projeção das obras, debater com o público. Além dos diretores Lauro Escorel e Adrian Cooper, lá estiveram os professores Paulo Sérgio Pinheiro, Francisco Foot Hardman e Victor Leonardi. O pequeno público presente pode se considerar privilegiado por ter ouvido a história dos filmes pela boca dos seus artífices.

Fonte: http://www.metronews.com.br/
Postar um comentário