segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

NOVA CANÇÃO DO POETA PAULO NASCIMENTO DE IGUATÚ.

Ainda me lembro que quando pequeno Mamãe pra que eu nunca ficasse doentea noite evitava que eu fosse ao serenoAo dia impedia que eu fosse ao sol quenteFicava com fome pra me dar comidamudava o cardápio se eu achasse ruimEsquecia as vezes sua própria vidaporque só lembrava de viver pra mimUm simples problema com minha saúdePra ela era um bicho de sete cabeçasFicava tomada de inquietudeCom medo de alguma sequela as avessaslogo encorporava a médica caseiraFazia um remédio de folha ou raizE só se livrava de toda canseiraQuando eu estivesse brincando felizVão passando os dias e ela mais doceContra a diferença que a idade fazAinda me trata como se eu fosseA mesma criança de a anos a trazTem muitos cuidados e não quer que eu dêPara ela o mínimo de preocupaçãoAs vezes eu acho que ela acha queSó ela envelhece e o seu filho não.
Postar um comentário