segunda-feira, 2 de novembro de 2009

PAULO NASCIMENTO DE IGUATÚ SONETO JUSTIÇA CEGA

Justiça cega.
Autor: Paulo Nascimento de iguatu

Quando um rico comete uma infracção
É um lapso, nem deve ser julgado
Mas se um pobre falhar é condenado
Sem fiança que evite a reclusão

Essa injusta justiça que ao barão
Dá razão, até ele estando errado,
E que enxerga inocência no culpado,
Deve estar com problema na visão.

Há quem ache que seja algum sintoma
De uma simples miopia ou de glaucoma
Que acarreta banais dificuldades

Mas pra mim, ela é cega, e é de guia
Se só fosse glaucoma ou miopia
Não teria só pobre a traz das grades
Postar um comentário