quinta-feira, 17 de maio de 2012

NAZINHA RIBEIRO - POEMA PASSEIO A VERDE MATA

PASSEIO A VERDE MATA

Um dia eu fui passear na verde mata
Observar as cascátas que ficavam a jorrá
Eu percebi serem águas cristalinas
Que desciam das colinas indo direto ao mar

Com minha presença o água pé se abril
Um arco íres surgiu com as suas cores belas
O gira-sol seabria com o sol quente
E girava lentamente suas pétalas amarelas

Os passarinhos sobrevoavam seus ninhos
Protegendo os filhotinhos para eu não os pegar
Isso eu não fiz por que não era correto
Eu tirar liberdade de quem podia voar

Até o caminho que eu sai rastreandoofe
Parecia está andando querendo me acompanhar
Areias finas penetravam em meus olhos
Como quem diziam fica para nos obsevar

A verde mata com seu encanto profundo
Chama a atenção do mundo pra não acabar com ela
É uma catástrofe o que está acontecendo
Toda mata está morrendo e ninguem zela por ela


Poema de autoria de Nazinha Ribeiro

Postar um comentário