domingo, 7 de outubro de 2012

Está nas mãos dos políticos do presente, O futuro do povo do planeta

Poeta Cícero Alves
Os países em guerra causam danos
Nos jornais tenho visto com destaque
Como a guerra terrível do Iraque
Sem se quer respeitar seres humanos
Sufocados pelos americanos
Uma bomba em cada pirueta


Explosivo e a fumaça preta
Talvez atmosfera nem aguente
Está nas mãos dos políticos do presente,
O futuro do povo do planeta

Cada Americana se apodera
Pra fazer algum teste nuclear
São bilhões de poluentes no ar
Destruindo a nossa atmosfera
Nosso ar não está mais como era
Brevemente se acaba a borboleta
Os bebês só gerando de proveta
Poluindo não nasce um inocente...

Nossa selva depois de devastada
Essa terra se torna muito seca
Falta água a espiga fica pêca
A nação está sendo ameaçada
Sem a água não dá pra nascer nada
Se nascer um neném será perneta
Pra viver vegetando na sarjeta
Numa vida tirana de indigente
Está nas mãos dos políticos do presente,
O futuro do povo do planeta

Destruir é a obra do demônio
Com queimadas spray aerossol
Tira o manto azul destampa o sol
Que chamamos camadas do ozônio
Essa terra é nosso patrimônio
Encoberto por ultravioleta
Mas o homem que tem mãos de marreta
Só está destruindo atualmente
Está nas mãos dos políticos do presente,
O futuro do povo do planeta

Se houver uma guerra nuclear
Não terá vencedores nessa guerra
Cairá chuva ácida sobre a terra
Não escapa da terra nem do mar
Tem que a ONU intervir pra não deixar
Produzirem urânio e criar treta
Quando os anjos tocarem na trombeta
Não terá mais nenhum sobrevivente
Está nas mãos dos políticos do presente,
O futuro do povo do planeta

A geleira da Antártida derretendo
O Osório aumentando a extinção
Muita água em alguma região
E falta água em outra alguém morrendo
Todos sabem o que anda acontecendo
E os arquivos guardados na gaveta
Se olharem pra o céu com uma luneta
Ver o quanto tem lá de poluente
Está nas mãos dos políticos do presente,
O futuro do povo do planeta


É preciso à elite se unir
Que os direitos humanos exigem ética
Japão França e União Soviética
Tem que o grupo dos treze se unir
Cada chefe de estado tem que ouvir
E não deixar que uma falha alguém cometa
Precisamos ganhar estatueta
Da filmagem do sol filmando a gente
Está nas mãos dos políticos do presente,
O futuro do povo do planeta

Autor : Poeta Cícero Alves

Postar um comentário