quinta-feira, 18 de outubro de 2012

INVENTOR DO RÁDIO O PADRE CIENTISTA ROBERTO LANDELL DE MOURA

INVENTOR DO RÁDIO 

                                                                                    


Quem Foi? O outro inventor do rádio

O brasileiro Landell de Moura foi pioneiro na transmissão de voz, mas só conseguiu ser chamado de louco e bruxo Você, como quase todos nós, deve ter aprendido que o inventor do rádio foi um italiano chamado Guglielmo Marconi.

Mas provavelmente nunca ouviu falar de Roberto Landell de Moura, o padre brasileiro responsável por fazer em 1894 (dois anos antes de Marconi) uma experiência pioneira de radiodifusão – mas que acabou menosprezado pelos registros históricos.

Nascido em Porto Alegre e educado em Roma, Landell foi a São Paulo exibir seu invento ao público – e tentar arrumar um patrocinador. Ele transmitiu a voz humana por 8 quilômetros em linha reta, da avenida Paulista até o Alto de Santana, na zona norte da cidade. (Detalhe: o rádio inventado por Marconi só transmitia sinais telegráficos.) Ainda assim, o sucesso do experimento não se converteu em muito dinheiro. Em 1900, Landell repetiu o experimento – agora na presença de jornalistas e de um representante do governo britânico. A notícia repercutiu, mas não do jeito que ele planejara: alguns religiosos se indignaram quando souberam que um padre estava fazendo “bruxarias”. Dois dias depois da demonstração, meia dúzia de fiéis invadiu o modesto laboratório do religioso para quebrar todos os seus aparelhos. No ano seguinte, o padre foi tentar a sorte nos EUA, onde impressionou a comunidade científica.

Eis que o esperado dinheiro parecia estar chegando: empresários americanos ofereceram uma fortuna a Landell. Só que, patriota ferrenho, ele a recusou. O padre acreditava que as invenções pertenciam ao Brasil. Ele conseguiu patentear suas invenções em 1904. Tarde demais: Marconi já o havia feito em 1896. Ao voltar para o Brasil, Landell tentou mais uma vez convencer o governo a financiá-lo. Seu plano incluía uma demonstração envolvendo dois navios da Marinha. Ao ser perguntado sobre a distância que os navios deveriam ficar um do outro, o padre perdeu uma incrível chance de ficar calado. Sua resposta foi: “Coloquem-nos na maior distância possível, pois esse invento um dia permitirá até conversas interplanetárias!” Foi o suficiente para ser taxado de louco por querer falar com ETs. Desiludido com a falta de apoio, acabou abandonando a ciência e dedicando-se exclusivamente à vida religiosa. • Como não há documentos oficiais da demonstração de 1894, muitos só aceitam o ano de 1900 como a data da primeira transmissão por rádio de Landell. • Apesar da invenção do rádio ser freqüentemente creditada a Marconi, várias pessoas vinham fazendo pesquisas na área, como o alemão Heinrich Hertz, o iugoslavo Nicolas Tesla e o próprio padre Landell. • Marconi patenteou seu invento em 1896 e depois criou a Companhia Marconi para usar comercialmente suas patentes. Uma coisa não há negar: ele foi o primeiro a investir na utilização comercial do rádio.

Fonte: inventores.nocomunidades.net.















Nome do inventor do rádio foi incluído no Livro de Heróis da Pátria

A inscrição do padre Roberto Landell de Moura no Livro de Heróis da Pátria foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial da União dessa segunda-feira (30). Considerado um pioneiro na área de telecomunicações, Landell de Moura realizou, no final do século 19, as primeiras transmissões de voz entre aparelhos sem fio, utilizando ondas eletromagnéticas. Ele também projetou a televisão, o teletipo e o controle remoto por rádio.
Apesar de ter patenteado algumas de suas invenções tanto no Brasil como nos Estados Unidos, Landell de Moura não obteve o reconhecimento das autoridades da época e chegou até mesmo a ser considerado feiticeiro ou louco pela população. “Infelizmente este grande cientista brasileiro não foi compreendido em seu tempo, o que, aliás, é comum acontecer com pioneiros, inovadores. Agora é nosso dever honrar e divulgar o seu trabalho. É importante que as crianças brasileiras aprendam na escola quem foi Roberto Landell de Moura”, declarou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.
Como não recebeu qualquer apoio oficial, o cientista brasileiro acabou caindo no esquecimento e a comunidade internacional reconheceu o italiano Guglielmo Marconi, que realizou estudos semelhantes, como o inventor do rádio. Por isso, desde 2009, o Movimento Landell de Moura luta para que o padre seja verdadeiramente reconhecido pelos brasileiros como o “pai do rádio”. A inscrição do nome de Landell de Moura no Livro dos Heróis da Pátria se dá pelo aniversário de 150 anos de nascimento do padre, comemorado em 2011.
Heróis da Pátria: Também conhecido como Livro de Aço, o Livro dos Heróis da Pátria está depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Foi criado em 2007, com o objetivo de imortalizar os nomes de brasileiros que tenham contribuído de forma excepcional para a construção e o desenvolvimento do país. Nele, já estão escritos nomes como o de Tiradentes, Zumbi dos Palmares, José Bonifácio e Santos Dumont.



Fonte Ismaelcarvalho.com










Postar um comentário