domingo, 10 de junho de 2012

NAZINHA RIBEIRO - POEMA O HOMEM DA ROÇA


O homem da roça

Trabalha homem da roça
Mesmo que esteja cansado
Os teu pés tem pele grossa 
As teus punhos calejados
Trabalha pra que um dia 
Possa ficar sossegado 

Trabalha home da roça 
Que a velhice já vem vindo
Quando a idade avança 
Problemas irão surgindo
O corpo fica cansado
E a saúde vai se indo

Homem da roça eu te vejo
Logo ao nascer do dia
Com uma enxada nas costas 
Vai cantando uma melodia
Vai feliz com o teu cão
Que serve de companhia

Homem da roça eu te vejo
Com o sol quente a tremer
O teu lanche é farinha
E a água que vai beber
Somente ao por do sol
É que tu sai pra comer

Homem da roça eu te vejo 
Com suas vestes rasgadas
A pele com arranhões 
Pelos espinhos furada
Os teus pés andam descalços
As tuas mãos calejadas

Homem da roça eu te vejo
Quando estás voltando a casa
O teu caminho é longo
E a canseira extravasa 
Com toda essa tua lida
Você nunca se atrasa

Homem da roça eu te vejo 
Um lutador invencível
Tua vida nunca pára
O teu tempo é consumível
Trabalhando tanto assim
Se tornará imbatível 



Autoria Nazinha Ribeiro
Postar um comentário